terça-feira, 26 de junho de 2007

Saudades


Está tudo a correr sobre rodas. Neste momento, ultimo os preparativos para a minha viagem. A desejada libertação está apenas a alguns dias de distância. Já fiz o roteiro, de forma grosseira, porque não gosto de planear em demasia. Há lugares-chave que faço questão de conhecer. De resto, muito da viagem será deixado ao sabor do acaso, dos acontecimentos que me levarão aqui ou ali, para que a aura de aventura seja uma constante em cada dia que passa.
Comecei a contagem decrescente. Já sinto um frenesim dos pés à cabeça e um apertozinho no estômago indica que a ansiedade está a aumentar.
Resolvi tudo o que havia para resolver, estou livre e desimpedida. Tenho vindo a dar a notícia aos amigos, calmamente, para que não se criem grandes excitações à minha volta (basta a minha!). O Nanu, o meu gato de estimação, vai ficar em casa da minha amiga Teresa, que tem lá mais dois e é maluquinha por todo o tipo de bichos. Bem entregue, portanto. O pior vão ser as saudades... do Nanu, é claro (e não só... estou a brincar). Vou ter saudades de muita gente, de muitos lugares, dos cheiros, das cores, dos sons do campo, da casa no alto do monte, até do vento eu vou sentir saudades!
Isto é mesmo coisa de portuguesinha! Só mesmo uma pessoa desta terra para ir fazer a viagem da sua vida e, por antecipação, começar a sentir saudades do que vai deixar. Fazer o quê? Somos assim. Eu seguramente que sou, quanto a isso não tenho dúvidas.
A vontade de partir é mais forte, no entanto. Não vão ser pieguices destas que me farão desistir da viagem. E quero crer que quando me apanhar bem longe de tudo o que tem feito parte, até agora, da minha minúscula e desenxabida existência, até estas saudades me vão parecer um pouco ridículas.
(Pelo sim, pelo não, levo uma fotografia do Nanu comigo, como quem leva a imagem de um santo protector. Assim, se me achar perdida no mundo, olho a fotografia com carinho e saudade e dar-se-à o milagre: ela saberá trazer-me, que nem um mapa, ou um sofisticado GPS, de volta ao meu gato, à minha montanha, ao meu aconchego).

26 comentários:

Rosa dos Ventos disse...

Deixa também uma fotografia em casa da Teresa para o Nanou não se esquecer de ti.
É que os gatos são muito sensíveis às ausências dos donos!
Boa viagem e vai dando notícias...

mafalda disse...

Que bem lembrado, amiga! Não me tinha ocorrido que o Nanu pudesse, igualmente, ter saudades minhas e gostasse de ver a minha fotografia de vez em quando... é por estas e por outras que eu acho que isto de partilharmos os nossos pensamentos e sentimentos nos blogues é a grande maravilha do Século XXI.
Podes crer que vou dando notícias... boas, espero... mas também vou estando atenta ao que se passa por cá, neste nosso mundo virtual e no outro, onde as coisas realmente acontecem.

Obrigada pela "lembradura" e até breve.

Perdido disse...

Bom viagem, Mafalda. Quem já começou a sentir saudade sou eu.

alguém disse...

Oh, vais embora?
Bom, boa viagem!
As viagens são sempre boas e neste caso parece-me que será inevitavelmente boa, ou não fosse a viagem da tua vida!
Até breve, espero.
Beijinhos

A.S. disse...

Há um momento em que o apelo da partida é mais forte!
Nós sabemos quando é chegado esse momento!

Que sempre a Luz, ilumine os teus caminhos...


Um terno beijo!

Teresa Duraes disse...

ui, quando estou para partir não tenho saudades de nada! Só penso na ida!! (e o regresso, quando tudo corre pelo menos razoavelmente bem, é de uma tristeza sem limites!)

Não devo ser muito portuguesa eheheh

beijos

Bichodeconta disse...

Ai a menina vai viajar e deixa-nos assim? boa viagem amiga, nós esperamos por ti.. Um abraço..

carteiro disse...

Bem conheço esse frenesim e o apertozinho no estômago. Ainda não fiz uma viagem a que possa chamar "a viagem da minha vida" (ou uma das) por isso nem imagino o quão exponencial pode ser tal sentimento ou onde pode chegar a ansiedade.

Que a foto do Nanu te dê muita força. Ele decerto que percebe o quanto precisas de tal viagem.

Ainda é cedo para te desejar boa viagem, espero... (ou seja, penso que nos deixarás mais um bonito texto aqui)

P.S. Ao falares do Nanu com esse carinho, lembrei-me do meu Tico (que foi o último gato que tive). Que saudades.

Maria P. disse...

Fecha a porta, que novas janelas esperam por ti!


Beijinhos*

Baudolino disse...

Reli o seu post anterior e a verdade é que somos as escolhas que fazemos e a forma como construimos a partir das consequências. Boa viagem e dê à sua vida o muito que ela espera de si (desculpe o tom meio paternalista)
Um abraço

mixtu disse...

viagem fisica ou de pensamento...
viagem real ou sonhada...
acredito que deves ir de férias mas ao ler o texto e depois reli... era o texto perfeito que fala de um novo rumo...
inquietudes, minhas...
o gato, pois cá por casa já cá está o Brutus VI,
abrazo europeu com direito a recorte :)

Nilson Barcelli disse...

Afinal não desististe...
Espero que leves a na´quina fotográfica e vás dando notícias com textos dos locais por onde vais passando (a menos que queiras esconder isso dos teus leitores...).
Boa viagem, beijinhos.

Dulce disse...

Às vezes é preciso partir para depois o regresso ser mais doce. Espero que essa viagem te ensine muitas coisas e te dê muitas razões para a relembrares. Quanto ao teu gato, a Rosa dos Ventos falou-te em deixares uma fotografia. Eu dir-te-ía antes que lhe deixasses algo de teu, algo com o teu cheiro. Eu, quando saio de casa, mesmo q por poucos dias, deixo sempre o meu roupão em cima da cama porque é lá que a minha gata se deita e dorme durante a noite. Quando eu não estou, pelo menos tem algo de meu para q não se esqueça.
Um beijo grande para ti e fico à espera do regresso.

Maria disse...

Boa viagem, Mafalda.....
E vai escrevendo.....

Beijinhos

A.S. disse...

Espero que a viagem seja excelente e que tudo corra como desejas...

As saudades passam depressa!

Um beijo Mafalda...

TINTA PERMANENTE disse...

A Saudade, minha amiga, não é exclusividade nacional, mesmo que por vezes a queiram colar ao fado, vadio ou não. A Saudade é coisa tão atávica nas gentes quando olha o passado, como a Esperança quando espera o futuro. Claro que os poetas pintam-na de muitas cores...
'A saudade
é um manto violáceo entretecido de ais,
de alguns fios de luar e... de não sei que mais.'

...
(mas acho que o teu bichano é, na verdade, um belissimo GPS!)
...
Os deuses acautelem o teu caminho.
Abraço.

mixtu disse...

entrega de um gps...

      |^^^^^^^^^^ || ||\__
      | ♥. GPS♥ |||||__| |'""\\__
      |__....._____ | ||"__|__|_||_]
        "(@)"(@)"""""""""(@)""(@)"
    _ _ __ __ __ _ __ _ __ __ _ __ _ __
    _ _ __ __ __ _ __ _ __ __ _ __ _ __

Bichodeconta disse...

Continuação de boa viagem.. Mas volta que já temos saudades dos teus trabalhos.. Um abraço

Graça Pires disse...

Olá Mafalda, espero que tudo seja como queres. Saudades, quem as não tem? Um beijo

carteiro disse...

Minha amiga, onde quer que estejas, espero que a descoberta e a aventura estejam a dar-te enorme prazer.
Assim como espero que o anterior aperto no estômago se tenha transformado numas asas que te possam fazer sentir mais leve...

mixtu disse...

bem, ia começar a escrever mas vi o nick do 1º coment, não necessitas de ajuda :)
abrazo europeu

Pepe Luigi disse...

Mafalda,
As despedidas custam sempre.
Desejo-te uma boa viagem.

Porém agradeço que passes no meu espaço. Obrigado.

Bjs.

APC disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
APC disse...

Epaaa... Eu andei distraída e, quando cá volto, vejo que tens hoje aqui um grande blog, Mafalda! :-) Isso é que foi começar e não baixar os braços! :-)) Em pouco tempo, reuniste imensos leitores, e é com essa força de vontade que te fazes a uma viagem de descoberta que certamente te marcará e te trará mais rica!
Desejo-te, pois, que vivas uma perfeita experiência e que regresses em segurança.

De todos os boníssimos comentários antes do meu, destaco este excerto, que eu acho verdadeiro e belo:

A Saudade é coisa tão atávica nas gentes quando olha o passado, como a Esperança quando espera o futuro.

'Nito, né? Prova que somos gente. Gente que sente. Que bom que é!...

Bon voyage!!! :-)))

A.S. disse...

Acabadinho de chegar! Ainda mal desfiz as malas! Vim ler-te e cumprimentar-te...


Um beijo!

Besnico di Roma disse...

Olha um “lince” no meio dos lilases!
Pois é, SUDADE, a palavra que o mundo não traduziu e que é bem nossa.
Beijitos